Categoria: Infovida

Fevereiro 10th, 2016 Por suporte

20160210135026_660_420O Sonic dos anos 1990 é um sucesso, com lembranças agradáveis para toda uma geração. O Sonic do novo milênio, no entanto, se esforça para apagar o legado da série com muitos jogos reconhecidamente ruins. Isso não impediu, no entanto, que a Sega planejasse um filme com o personagem que deve ser lançado em 2018.

Em entrevista ao site The Worldfolio, Hajime Satomi, o CEO da Sega, revelou um projeto em parceria com a Sony Pictures para a produção. O filme envolve live-action (com atores reais) misturado com animação.

A trajetória de Sonic fora dos videogames é mista. Há séries de desenhos animados de qualidade e sucesso e até mesmo o programa de TV Sonic Boom tem atraído público, ao ponto de ser renovado para uma segunda temporada.

No entanto, o que assusta é a parte live-action. Ver o personagem interagindo com humanos remete diretamente ao jogo de 2006 que é uma das maiores bombas da história da indústria de videogames. Na ocasião Sonic chegou a ser beijado por uma mulher humana, em uma cena que, infelizmente, nunca mais saiu da cabeça de quem a assistiu.

Fonte: http://olhardigital.uol.com.br/noticia/sonic-ganhara-filme-hibrido-com-animacao-e-atores-reais-em-2018/55039

Publicado em Infovida Etiquetas: ,

Fevereiro 10th, 2016 Por suporte

vagas-nos-correios-estao-abertas_597567A Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos é a maior instituição responsável pelo transporte de documentos e produtos em todo o território nacional. Trabalhar nos Correios é ter acesso a grandes oportunidades relacionadas ao acúmulo de experiência e valorização do currículo. Na segunda-feira (10), os Correios anunciaram a abertura do processo seletivo que servirá para a contratação de 3903 jovens que estejam dispostas a trabalhar no cargo de jovem aprendiz. Leia mais informações nesta notícia.

Vagas

As 3900 vagas abertas serão distribuídas entre as agências de diversas cidades do Brasil.  Para concorrer, os jovens precisam ter idade entre 15 a 22 anos, além da comprovação do nível escolar com, no mínimo, o 9° ano do ensino fundamental cursando ou ensino médio cursando ou concluído.

Fonte:http://br.blastingnews.com/concursos/2016/02/correios-abre-processo-seletivo-com-3900-vagas-de-emprego-00780525.html

Publicado em Infovida Etiquetas: ,

Fevereiro 9th, 2016 Por suporte

como-fazer-uma-boa-propaganda-de-um-produtoQuando pensamos em propaganda, pensamos logo nos comerciais de TV e rádio. Como diz o ditado, a “propaganda é a alma do negócio”. Por isso, desde as empresas menores até grandes corporações investem em publicidade.

Na maioria das vezes o retorno compensa, mas o que fazer quando o retorno não é o esperado? O que fazer quando o resultado final não é aquilo que imaginávamos quando fizemos tal investimento? Hoje vamos analisar aspectos sobre como fazer uma boa propaganda de um produto.

Destacar o que há de melhor em seu Produto

É imperativo que seu produto deve possuir qualidade superior ou pelo menos igual a de seus concorrentes. Mas para uma propaganda ser feita realmente de forma eficaz, é preciso que você destaque o que há de melhor em seu produto. Não importa qual seja seu produto, o que interessa é o que fará o cliente compre o que está vendendo. Porque o cliente desejará tal coisa, qual é o catalizador existente nesse produto para que o cliente se sinta atraído a compra-lo?

Muitas vezes, devido a muitas características que o produto pode possuir, fica difícil destacar o que há de melhor nele. Mas aí é que você tem de atuar. Pesquise os produtos oferecidos da mesma categoria pelos seus concorrentes. Se seu produto mostrar superioridade sobre os demais, com certeza você encontrará uma brecha onde poderá destacar o porquê o cliente deve adquiri-lo.

Mostrar Inovação

No processo de fabricação do seu produto ou de elaboração do seu serviço oferecido, é preciso sempre inovar. Os consumidores estão fartos de verem propaganda na TV e não saberem diferenciar o que um produto oriundo de uma marca tem de diferente para a outra.

Acontece que cada empresa hoje busca se destacar através da inovação. Essa inovação pode ser tecnológica ou pode ser sustentável e os dois ao mesmo tempo. Mas há a inovação que é preciso para o mercado onde você atua.

Esse processo de inovação demora. Não importa qual seja o setor de mercado da sua empresa, inovar não é pensar que pode fazer diferente por que teve uma ideia nova. Inovar é fazer um brainstorm do que os concorrentes têm em comum e você não tem. Maior do que isso inovar é fazer com que seu produto se destaque por uma nova característica que visa proporcionar melhores resultados para o cliente. Isto é inovar. Destacar a inovação do seu produto para seus clientes através de uma propaganda pode ser a grande chance da sua carreira empreendedora.

Essas foram simples dicas sobre como fazer uma boa propaganda de um produto para dar inicio aos seus trabalhos! Até os próximos artigos…

Fonte: http://www.montarumnegocio.com/como-fazer-uma-boa-propaganda-de-um-produto/

Publicado em Infovida Etiquetas: ,

Fevereiro 9th, 2016 Por suporte

como fazer1 – Escreva um título que cause impacto

Escolha com cuidado palavras poderosas para fazer um panfleto de propaganda memorável, incomum ou provocativo. Títulos populares contêm uma ou mais das seguintes palavras: fácil, os segredos de, finalmente, como, bônus, grátis, agora você pode, descubra, comprovada.

2 – Utilize gráficos coloridos ou imagens marcantes

Uma grande imagem terá mais impacto do que muitas imagens menores. Uma foto impressionante ou ilustração chama a atenção, cria um estado de espírito e apoia a sua história. A imagem funciona como “ponto focal” e vai chamar os seus leitores. Você pode comprar fotos baratas, mas com qualidade na Internet. Baixe fotos individuais, compre um CD com centenas de imagens ou peça para um designer escolher uma para você.

3 – Destaque os benefícios de seu produto ou serviço

Na hora de fazer seu panfleto de propaganda, faça-se a seguinte pergunta: “Se eu recebesse esse panfleto como ele poderia me ajudar?” Escreva a partir deste ponto de vista usando as palavras “você” e “seu”. Evite usar as seguintes palavras: nós, eu e nossa. Certifique-se de manter seu texto curto e direto ao ponto. Algumas das palavras mais poderosas para usar são: livre, salvar, amor, novo, resultados e garantia. Divida longos parágrafos com pontos de destaque e coloque os em caixas separadas.

4 – Use depoimentos convincentes e estudos de caso

Nada credita um panfleto de propaganda mais que um depoimento feliz de um cliente, especialmente se ele demonstra os resultados que teve com o seu produto ou serviço. Certifique-se de incluir o nome e sobrenome, nome da empresa e localização da pessoa que fornece o aval.

5 – Faça seus pontos facilmente identificáveis

Destaque títulos e subtítulos com negrito. Crie uma ordem nas informações separando com cores temas distintos e use no máximo dois tipos de fontes.

6 – Não se esqueça de revisar

Tenha alguém para revisar seu panfleto de propaganda. Verifique se o seus dados de contato estão corretos e digite a URL do site para se certificar de que está correto também.

7 – Ofereça um desconto ou preço especial por tempo limitado

Crie um cupom de desconto no canto inferior do panfleto de propaganda e certifique-se de indicar claramente os prazos e limitações da oferta.

Você não precisa reinventar a roda quando for fazer seu panfleto de propaganda. Use estas técnicas simples e você vai ver grandes resultados em seus esforços de marketing.

Fonte: http://blog.wedologos.com.br/como-fazer-panfletos-de-propaganda/

Publicado em Infovida Etiquetas: ,

Fevereiro 9th, 2016 Por suporte

por que investirO cenário econômico atual se apresenta como um grande desafio para as empresas. Isso porque muitos especialistas acreditam que a crise que vivemos será longa, podendo até piorar. E independentemente do que o futuro nos reserva, o fato é que as empresas querem se manter no mercado, continuando a conquistar novos clientes e fechar negócios. Enxugar os custos neste momento delicado pode ser uma boa saída para a crise, mas, infelizmente, muitas empresas acabam diminuindo seu investimento em marketing. Será que isso é uma boa estratégia?

Por que as empresas deixam de investir em marketing durante a crise?

Muitas empresas ainda enxergam as ações de marketing como uma “despesa”, ou “custo” que serve apenas para simplesmente agradar os clientes promover a marca, sem ligação com um retorno direto.

O maior erro nessa concepção é que o marketing não é um custo, mas sim um investimento que é capaz de gerar resultados imediatos e também no longo prazo para sua empresa. Dentre os objetivos de qualquer ação de marketing está o de gerar vendas através da conquista e fidelização dos clientes, permitindo a manutenção e o crescimento da empresa, a custo, médio e longo prazo.

O marketing deve ser estratégico, com objetivos claros e métricas que permitam a mensuração de todos os resultados, assim cada ação deve ser vinculada a um retorno claro para a empresa, de forma que esse investimento destaque a empresa frente a outras que tratam o marketing apenas como uma conta a mais.

Como o marketing digital pode ajudar sua empresa durante a crise?

São vários os motivos para que sua empresa continue a investir em marketing digital durante a crise. Confira alguns deles:

  • Esteja no lugar certo

O marketing digital pode ser uma excelente ferramenta para fazer com que sua empresa esteja disponível para seu cliente no momento que ele procura por seu produto. Investindo em ações bem planejadas de presença digital (redes sociais, buscadores, mobile, site com design responsivo, anúncios, blogs, entre outros) você garante que sua empresa esteja visível ao alcance do seu potencial cliente para concretizar uma venda. Tenha certeza de que, mesmo em tempos de crise, há pessoas interessadas em seu produto ou serviço e para alcançar estas pessoas você deve estar presente onde seu público se encontra e quando ela buscar por aquilo que sua empresa tem a oferecer.

  • Evidencie sua marca com o marketing de conteúdo

Essa estratégia auxilia sua empresa a ficar em evidência por meio de conteúdos que agreguem valor ao dia a dia das pessoas com o intuito de informar, entreter, ensinar e solucionar problemas. A criação de conteúdo inteligente com uma linguagem adequada, clareza, objetividade, escolha assertiva da rede para divulgação transforma essa estratégia em relacionamento, criando uma percepção positiva do público a respeito da sua marca tornando possível atrair, reter e fidelizar seus clientes.

  • Use o Big Data para melhorar a experiência do seu consumidor

Hoje é possível adquirir informações sobre seus clientes por meio das redes sociais, pesquisas de mercado, blogs e utilizá-las para aprimorar a experiência com sua marca, agregando valor ao seu negócio e ganhando vantagem competitiva em seu setor. O trabalho eficaz com os dados pode trazer insights, acesso de forma antecipada a tendências futuras de mercado, melhorar o nível do serviço oferecido, desenvolver novos produtos baseados nas expectativas dos consumidores, reduzir custos com procedimentos desnecessários e gerar novas vendas.

  • Você pode medir tudo em tempo real

Uma grande vantagem das ações promocionais nos meios digitais é que tudo pode ser medido. Você é capaz de identificar quais ações geram mais resultados e, consequentemente, mais vendas para seu negócio. Além disso, você será capaz de corrigir ações que não estejam gerando o retorno desejado. Tudo isso em tempo real, sem ter de esperar o pior acontecer e se encontrar em uma situação irreversível para realizar as mudanças necessárias.

  • É mais acessível do que o marketing tradicional

As ações de marketing tradicional, como os comerciais de rádio e TV, produzem bons resultados, porém exigem um investimento tão alto que, principalmente para as pequenas e médias empresas, chega a ser proibitivo. Além disso, estas ações podem não ser tão eficientes, uma vez que atingem um grande número de pessoas que não se interessam por seu produto ou serviço. Os investimentos em marketing digital são bem menores e permitem que sua empresa alcance seu público-alvo de forma mais assertiva e sem perder o foco com quem não é seu público, independentemente do tamanho de sua empresa.

  • O seu concorrente está investindo em marketing digital

Faça agora mesmo uma busca no Google por seu produto ou serviço e confira se seu concorrente já está investindo em marketing digital, mesmo neste período de crise. Deixando de investir em marketing digital você está facilitando o trabalho dele, perdendo clientes importantes e, com eles, perdendo dinheiro.

Fonte:http://www.administradores.com.br/artigos/marketing/por-que-investir-em-marketing-digital-em-tempos-de-crise/90177/

Publicado em Infovida Etiquetas: ,

Fevereiro 9th, 2016 Por suporte

índiceA ascensão do marketing digital está mudando a forma como as marcas de luxo se envolvem com os clientes e as empresas tradicionais devem abraçar o que agora é possível no mundo conectado e móvel de hoje ou serem deixadas para trás. “A indústria de luxo está em um ponto de transição vital”, comenta Chris Moody, diretor criativo da consultoria de marcas Wolff Olins, falando em um seminário organizado pelo The Guardian e realizado em associação com a Harrods Mídia.

Um público convidado juntou especialistas do setor para debater os riscos e oportunidades criativas para marcas de luxo habilitados pela tecnologia digital. A Interação Digital foi uma característica do próprio evento em si, já que os membros da audiência participaram por meio de um aplicativo para iPad, enviando perguntas e votações sobre quais temas deveriam ser abordados pelos painéis no palco.

A indústria automobilística é um exemplo da profunda mudança operada pela Digital, disse Laura Schwab, diretora de marketing da Jaguar Land Rover: “A quantidade de vezes que as pessoas realmente se dirigem para uma concessionária de carros diminuiu. Vão quando está tudo pronto para fazer o test drive. Antes disso, tudo acontece online. ”

A implicação para as marcas do setor automotivo de luxo do marketing digital é que, para conquistar essa visita física a concessionária é preciso antes fazer todo o envolvimento com o cliente on-line, garantindo que um conteúdo digital atrativo esteja disponível. “Nós não fazemos veiculação digital buscando um monte de impressões”, disse Schwab. “Para a Land Rover e Jaguar uma pequena percentagem de pessoas qualificadas já nos basta”.

Buscar volume de impressões continua a ser importante em muitos setores, mas a tendência é inconfundível: “A mídia impressa e outros meios de comunicação mais tradicionais no setor de luxo têm ainda tem relevância”, disse o diretor de vendas da Harrods Mídia, Guy Cheston,  “mas isso deve mudar em breve, especialmente com a geração mais jovem, que não cresceu lendo uma revista a cada mês.”

 

O evento, no entanto, registrou alguns sinais de ceticismo do público presente sobre os méritos do digital. Uma questão submetida ao painel através do aplicativo rapidamente chegou ao topo das perguntas: “O retorno sobre o investimento (ROI) não é tão grande com o digital, então por que devemos investir em publicidade digital?”.

A resposta, de acordo com o painel, é que o marketing digital significa uma mudança de mentalidade e não apenas uma mudança de meio. Você deve olhar para o retorno sobre interação em vez de retorno sobre o investimento, disse Moody. O “ponto de ROI” não é desculpa para não avançar e inovar: “Você está construindo um relacionamento com pessoas que podem continuar a utilizar o seu produto para os próximos 25 anos. Essas interações que você tem, particularmente através das redes sociais, são super valiosas. Seria uma vergonha não investir nisso”.

Um dos benefícios da mídia digital é que ela gera dados, com uma riqueza de análise antes impossível: “A mídia digital é mais mensurável do que qualquer outra forma de mídia que fazemos. Não se trata apenas de números de alcance enorme, é sobre a criação de um noivado com nossos consumidores qualificados, entendendo sua jornada e, em seguida, entregar conteúdo relevante ao longo desse caminho. ”

As mídias sociais não são fáceis de administrar, mas elas são um dos recursos mais gratificantes, registrou-se no seminário. Ela começa com a montagem da equipe certa. Interagir em mídias sociais exige um nível de conhecimento e serviço ao cliente que está de acordo com os valores fundamentais de cada marca. Dá muito trabalho, mas quando funciona, é recompensador.

“Quando você decidir que quer começar a se envolver em uma conversa com a sua comunidade, você abre as portas para criar um fluxo de comunicação de duas vias, você não pode decidir …Estamos um pouco cansados neste domingo… Você tem que estar disposto a intensificar isso o tempo todo “, disse Schwab.

Moody acrescenta que mídias sociais “é uma forma de iniciar uma conversa. Você não pode simplesmente empurrar uma mensagem de comunicação através do fluxo da interação social, porque as pessoas vão fazer comentários negativos”.

Quantas vezes você deve comunicar-se com seus clientes, quando você tem um produto, como um carro ou joias caras, que só podem ser comprados muito poucos ao longo de anos? “As pessoas não compram pérolas todos os meses”, disse Mariko Oya, executivo de marketing da empresa de joias de pérolas Mikimoto, falando da plateia.

“Nós não fazemos grandes disparos de emails em massa”, disse Schwab. “Nós atuamos através de conteúdos personalizados.” Jaguar Land Rover utiliza análise de dados para saber mais sobre os seus clientes e para entregar conteúdos direcionados, disse ela. “Use o seu banco de dados e você vai conseguir criar uma experiência única e personalizada de grande eficácia.”

Inovação e criatividade são fundamentais para o marketing digital nos setores de luxo. Talvez um dos setores em que o digital venha a ter sua maior eficácia nos próximos anos, foi uma das conclusões do evento.

Fonte:http://innovationinsider.com.br/como-o-marketing-digital-vai-impactar-o-charmoso-mundo-das-marcas-de-luxo/

Publicado em Infovida Etiquetas: ,

Fevereiro 9th, 2016 Por suporte
Business man holding in his hand megaphone. Flat design vector illustration business concept of digital marketing.

Business man holding in his hand megaphone. Flat design vector illustration business concept of digital marketing.

Que o mundo digital está em franco crescimento não é novidade, mas o que ninguém se atenta é que as estratégias das empresas para acompanhar essas mudanças têm que ser mais agressivas do que nunca. Para competir no mundo corporativo, não dá para ficar dependente de ferramentas triviais e achar que está tudo bem.

Para se destacar da concorrência, é preciso investir fortemente em inovação e em tecnologia para causar uma ruptura no mercado. Uma aplicação eficiente do marketing digital nas estratégias das empresas tem que, necessariamente, levar em consideração as várias evoluções do meio. Como as atuais fontes públicas de dados, a hospedagem cloud, a tecnologia mobile e os algoritmos inteligentes que facilitam e muito o gerenciamento de resultados.

Mas quais seriam as oportunidades? Quais seriam as 7 forças a se considerar? Quais os desafios para os gerentes aplicarem essas estratégias digitais? Acompanhe as próximas linhas para entender melhor essas questões!

As oportunidades

Hoje em dia, ter um bom time de marketing que entende a importância da análise de dados, da mesuração e da curadoria de informação não basta para se ter sucesso. Uma aplicação estratégica eficaz só tem sentido se for baseada no que o mercado pede.

Em outras palavras, entender os interesses da sua audiência ajuda a compreender onde o gestor tem que “fincar a bandeira” para chamar a atenção. Existem três acpectos básicos para se observar no mercado:

O conteúdo online como facilitador das relações

A partir dos canais digitais, o conteúdo auxilia, primeiramente, quando se torna acessível a todos os membros da organização e a todos os clientes, por meio de plataformas de comunicação em um bom mídia mix, que incluí vídeos e infográficos. Aliado a isso, há o usos das redes sociais, com mensagens personalizadas focadas em conversão. Posteriormente, a análise de dados e a mensuração de resultados.

Algoritmos e as decisões gerenciais

Tomar decisões mais fáceis é um elemento facilitador na hora de medir os resultados ao longo de toda a sua organização. Com algoritmos mais avançados é possível acessar os riscos de qualquer acão facilmente.

Os novos negócios e os novos modelos de operação

Hoje, a inovação e a tecnologia apresentam solucões que já conseguem exterminar a intermediação entre clientes e fornecedores, podendo o próprio produtor fornecer às empresas diretamente. Já existe até a possibilidade de, a partir de tecnologias mobile (aplicativos), um usuário ajudar o outro na sulução de problemas relativos à sua mercadoria, sem que você precise contratar profissionais de suporte para fazer isso.

Olhando para essas três grandes oportunidades, você como gestor pode identificar que há demanda. A indústria digital apresenta novas brechas e caminhos a todo o momento e os empreendedores buscam, progressivamente, a competição baseda nesses quesitos.

Mudando as estratégias das empresas em 7 passos

Para competir e jogar o jogo e inovar em suas táticas de marketing digital é preciso mudar e evoluir vários degrais na demanda do consumidor. Recomenda-se observar 7 atributos simples:

1- Preços e margens

Aqui o que chama atenção são os agregadores de preço e serviços. Sites de crowdfunding e comparação de preços são grandes referenciais aqui. Pois todo consumidor passa por eles antes de decidir pela compra. Nós falamos mais sobre a jornada do consumidor e sua importância no mundo digital nesse post aqui.

2- Mineração de dados

Aqui é o momento onde a mineração de dados é essencial para entender onde o seu competidor está buscando clientes. Nisso, nós da SimilarWeb podemos te ajudar.

3- Agregadores de dados

Eles vieram com tudo para reduzir custos com mão-de-obra e transações empresariais. A possibilidade de coletar uma grande quantidade de informações do consumidor, por meio de softwares e de plataformas digitais, aumenta e muito a capacidade que as empresas têm de acessar, de monitorar e de avaliar riscos do negócio. Esse modelo tem atraído fãs em diversas áreas, o que se mostra como uma boa alternativa para sair da crise econômica e financeira de forma inteligente e menos trabalhosa.

4- Modelo de negócios Plug and Play

Acontece quando se incorpora uma oferta existente dentro de uma cadeia de valor como um serviço único. Um grande exemplo disso são os meta buscadores de viagens, que agregam serviços de hospedagem e hotéis.

5- O crescente poder das máquinas

Os grandes softwares de mercado são considerados verdadeiras máquinas que acabam susbtituindo a mão-de-obra física. Grandes exemplos aqui são os avanços na Oncologia, por exemplo, e as plataformas de ensino.

6- A economia colaborativa

Um modelo de negócios crescente hoje. Neles, todos colaboram e dividem arquivos e espaços no ambiente virtual.

7- Os modelos de negócio evoluem incansavelmente

Por último, mas não menos importante, é crucial lembrar o quanto o mundo digital evoluiu. Passamos rapidamente dos CDs e DVDs para os mp3s e hoje temos os modelos de inscrição, como o aplicativo Spotfy.

Pense na concorrência e surpreenda o consumidor

Pensando em tudo isso, fica nítido que as estratégias das empresas precisam acomodar e incorporar as novas tecnologias e as novas tendências em inovação para se tornarem, de fato, competitivas. Assim como o consumidor, o seu concorrente provavelmente já adota várias dessas novas possibilidades para abrir caminhos para os seus produtos e os seus serviços. Dessa forma, você como um gestor competitivo deve olhar para o que os outros realizam e oferecer sempre um algo a mais para fidelizar o cliente.

Fonte: http://www.similarweb.com.br/como-o-marketing-digital-esta-mudando-as-estrategias-das-empresas/

Publicado em Infovida Etiquetas: ,

Fevereiro 9th, 2016 Por suporte

20150702135443_660_420A empresa Microchips Biotech, nascida no MIT, desenvolveu um microchip capaz de administrar doses de remédios na hora certa. O chip pode conter centenas de doses de diversas medicações e pode ser implantado nos braços, abdomen ou nádegas em um procedimento simples.

O implante acabaria com a necessidade de se lembrar de tomar a medicação, já que o chip pode ser programado remotamente. De acordo com o geek.com, dificuldades decorrentes de pacientes que esquecem de tomar seus medicamentos nos horários recomendados pelos médicos gera anualmente algo entre US$ 100 milhões e US$ 289 milhões de custos adicionais com saúde.

Testes já realizados mostraram que a eficácia dos remédios administrados pelo microchip era muito semelhante à dos remédios injetados. Dentre as doenças que poderiam ser tratadas com esse procedimento estão osteoporose, esclerose múltipla e diabetes. O implante também poderia ser usado como substituto às tradicionais pílulas anticoncepcionais.

A empresa recentemente travou uma parceria com a Teva Pharmaceutical para desenvolver um modelo de comercialização dos chips. Como parte da parceria, a Teva Pharmaceuticals pagou US$ 35 milhões para ter acesso à tecnologia.

O chip contém centenas de pequenos poros cobertos por uma fina membrana de metal, que pode ser aberta por meio de um pequeno impulso elétrico emitido pelo dispositivo. O design final do chip, no entanto, ainda precisará ser aprovado pelos órgãos regulatórios competentes dos EUA antes de poder ser comercializado.

Fonte: http://m.olhardigital.uol.com.br/noticia/empresa-cria-chip-implantavel-que-lembra-a-hora-de-tomar-remedio/49528

Publicado em Infovida Etiquetas: ,

Fevereiro 9th, 2016 Por suporte

20150716152935_660_420O SIM card está morrendo, e sua falta provavelmente não será sentida. Depois de anos diminuindo progressivamente de tamanho, Apple e Samsung, as duas maiores fabricantes de smartphones no mundo, estão discutindo com a indústria de telecomunicações o fim do tradicional chip, que dará lugar a uma solução virtual.

Segundo o Financial Times, as empresas conversam com a GSMA, associação que controla o sistema telefônico GSM, usado pela maioria das operadoras de telefonia no mundo. O objetivo é a criação do E-SIM, que, de forma resumida, permite que o usuário troque a operadora do celular sem precisar trocar o chip do seu aparelho.

A sigla E-SIM se refere a “embedded SIM”, cuja tradução seria “SIM incorporado”. O nome dá a entender que o usuário não teria mais acesso ao chip do celular. No entanto, isso também não seria necessário, já que você pode trocar de operadora sem precisar mexer no seu smartphone.

O primeiro passo já foi dado pela Apple há pouco tempo, com o iPad Air 2. Nos EUA, é possível optar pelo Apple SIM, uma solução própria para o cartão SIM virtual. No entanto, o impacto na indústria não foi muito grande, e as operadoras não abraçaram a ideia.

O E-SIM não deve ser um padrão imediato, e o chip tradicional deve continuar sendo dominante por algum tempo, porque ele ainda é muito usado no mundo todo. No entanto, várias grandes operadoras já estão no barco, como AT&T, Deutsche Telekom, Etisalat, Hutchison Whampoa, Orange, Telefónica, Vodafone. Se mais fabricantes e operadoras decidirem apoiar o padrão, o chip SIM como conhecemos hoje deve morrer em alguns anos.

Fonte: http://olhardigital.uol.com.br/noticia/apple-e-samsung-se-unem-para-matar-o-chip-de-celular/49835

Publicado em Infovida Etiquetas: ,

Fevereiro 3rd, 2016 Por suporte

size_810_16_9_Google-Motorola-Defy-PlusSão Paulo – Quando o Google anunciou a compra da unidade de celulares da Motorola por 11,5 bilhões de dólares, em 2011, o mercado de tecnologia entrou em uma nova era de expectativas: estaria o gigante de buscas caminhando para ser uma nova concorrente da Apple?

Hoje, um dia depois do anúncio da venda da empresa para a chinesa Lenovo, já se crê que não, o Google continuará a focar no que entende e faz de melhor: serviços em software.

A venda por 2,91 bilhões de dólares, menos de um quarto do valor investido, deixa claro que o Google fracassou na tentativa de entrar no segmento de hardware de olho na concorrência com as maiores do setor, Apple, Microsoft e Samsung.

Isso porque, com a compra da Motorola, o Google levou para casa uma série de patentes de telefonia e comunicações que eram da empresa adquirida. E um poderio de contatos com operadoras na América Latina e Estados Unidos capazes de fazer com que o gigante de buscas conquistasse o “mundo” também na área de aparelhos de telefonia Android.

Por outro lado, o Google também teve de adquirir a dificuldade de lidar com a fabricação e criação de produtos, uma habilidade muito mais custosa e demorada que a de criação e venda de software. Fazer hardware envolve fornecedores, suporte técnico, garantias, logística… todo um aparato bem distante do mundo de serviços que o Google lidera.

Ainda que o gigante de buscas tenha ficado com as patentes da marca de celulares, o que teoricamente compensaria o negócio inicial, a Motorola não rendeu lucros ao Google. Em 2013, a empresa de celulares teve prejuízo de 928 milhões de dólares, ante os 616 milhões perdidos em 2012.

Já para a Lenovo, a compra da Motorola abre uma porta de expansão mundial e possível liderança em smartphones, um setor que a companhia domina há anos. Comprar uma empresa forte em um setor e dominar o segmento em que ela atua não é novidade para a Lenovo. A companhia é hoje líder em vendas de computadores e notebooks no mundo, passo impulsionado pela compra da divisão de PCs da IBM, em 2005.

Por aqui, a Lenovo manterá as marcas Lenovo e Motorola juntas e a marca CCE deve seguir como a de produtos de baixo custo, de acordo com Yang Yuanqing, executivo-chefe da Lenovo. Resta saber quanto essa mudança, a longo prazo, deve alterar os planos da companhia para o Brasil.

Fonte: http://exame.abril.com.br/negocios/noticias/por-que-o-google-vendeu-a-motorola-por-um-quarto-do-preco

Publicado em Infovida Etiquetas: ,